Alto potencial de células-tronco do dente de leite é atrativo para armazenamento

Alto potencial de células-tronco do dente de leite é atrativo para armazenamento

Benefícios vão desde diminuição de risco de rejeição até facilidade de coleta

A ampla possibilidade de aplicação das células-tronco do dente de leite atrai cada vez mais interessados em armazená-las, mas não é somente esse benefício que fez o número de preservações crescer mais de 300% no último ano. O grande potencial dessas células vem também da possibilidade delas se transformarem em diferentes outros tipos, contribuindo expressivamente com a medicina regenerativa. Há ainda o fato da coleta e extração do dente de leite ser rápida, o que facilita a decisão de diversos pais e mães de armazenar essas células-tronco.

Outro motivo especial vem da “simplicidade” do processo: apenas um dente é suficiente para que se obtenha material em quantidade e em qualidade para o armazenamento. Esse processo de extração, realizado por um dentista especializado, é seguro, minimamente invasivo e garante que as células permaneçam intactas e prontas para serem multiplicadas.

Mais um atrativo do armazenamento desse tipo de célula-tronco é que são células jovens e com alto potencial de multiplicação in vitro. A grande possibilidade de expansão do material permite que essas células sejam utilizadas com eficiência no futuro, já que algumas doenças ou lesões exigem grande quantidade para a terapia celular.

Mas, entre todos os motivos para armazenar as células-tronco do dente de leite, garantir a qualidade de vida para o futuro dos filhos ainda é o principal benefício desse processo. O uso das próprias células-tronco em tratamentos futuros minimiza o risco de rejeição pelo organismo e por isso, a maior parte do público atraído é composto por pais, preocupados com o futuro dos filhos e com esperanças de novas descobertas de tratamento e/ou cura para doenças. “Se daqui a alguns anos aparecer uma pesquisa com células-tronco para Coloboma, ele já tem as suas preservadas”, comenta Antônio, sobre a má formação ocular de seu filho Bruno. Ele é um dos muitos pais que optaram pelo armazenamento pensando na segurança e no futuro.

Tratamentos existentes e pesquisa promissoras
O uso de células-tronco do dente de leite já se mostrou eficaz para a reconstrução óssea em fissura labiopalatina, enxerto em queimaduras de terceiro grau, regeneração da córnea, regeneração de lesões ósseas, entre outros tratamentos.

Existem diversas pesquisas promissoras em andamento com esse tipo de célula para o tratamento do Diabetes, Alzheimer, Mal de Parkinson, tratamentos cardíacos e outras doenças que atualmente são consideradas incuráveis. Cientistas estudam para tornar possível até mesmo a criação de órgãos em laboratório.

Sobre a R•Crio
A R•Crio é o único laboratório no Brasil especializado na coleta das células-tronco da polpa do dente de leite. A empresa tem como objetivo oferecer serviços de excelência, que contemplem todas as etapas envolvidas entre a coleta de células-tronco e sua efetiva utilização no futuro, trabalhando com um processo de isolamento e multiplicação exclusivos, protegidos por patente, reconhecidos pela NASA e certificados pela Associação brasileira de Odontologia (ABO).